O MAGO, primeiro Arcano Maior

A Lâmina

Chamam-lhe Mago (Magician), Mágico, Acólito, Alquimista em vários e diferentes baralhos. b

O Mago, o primeiro arcano maior do tarot, é um arquétipo representado na carta por um adolescente, que tem um longo caminho a percorrer. Normalmente, tem sobre a sua cabeça o símbolo do infinito, dadas as inúmeras possibilidades e oportunidades que tem à sua frente. Esta é, no fundo a lâmina que dá início à caminhada espiritual… é o ponto de partida e a necessidade de fazer uma canalização de vibrações superiores para poder realizar uma evolução. Se pensar em algo que deseja muito lembre-se do Mago, é capaz de trazer qualquer coisa! A lâmina 1 do Tarot é mais do que o primeiro passo, ela é a realização concreta de algo que, até então, só existia no mundo das nossas vontades, dos nossos desejos mais intrínsecos. Como vem logo após a carta do Louco (quando este se encontra a zero), o Mago vai ajudar a transformar em realidade aquela vontade inconsciente que fez tomar uma atitude para mudar. Enquanto O Louco era o potencial, a possibilidade do positivo e do negativo, o Mago é a união destes dois opostos. Ele cria e conserva, destrói e redime. Ele sabe o que fazer, como fazer e, principalmente, por que fazer.

 

A Manifestação

O MAGO REPRESENTA A FORMA COMO A ACTIVIDADE SE MANIFESTA, a energia criativa e actuante, por isso é uma figura masculina, já que a energia masculina é um princípio activo. Ele tem ao seu dispor os quatro elementos – FogoTerraAr e Água representados respectivamente pelos objectos que tem em cima da mesa – o pau, a moeda, a espada e a taça. Na mão direita empunha a varinha de condão que os transformará pela sua vontade e que atrai a força do alto para que aprenda a usar a mente e a ser capaz de canalizar a sua energia para objectivos concretos. A mão esquerda aponta para baixo, trazendo a manifestação de tudo o que vem de cima, como que dizendo-nos que é necessário encarar seriamente tudo o que se passa no plano físico. É a derradeira manifestação da primeira lei hermética que dita que tudo o que está em cima é como o que está em baixo e vice-versa. O Mago percebe que querer é poder e numa alusão modificada ao fatalista brocardo popular o Mago sabe que «Deus põe e o Mago dispõe», pois temos tudo à nossa disposição para a realização do nosso propósito de vida, já que as circunstâncias em que nascemos são sempre as adequadas. Assim, o Mago é um transformador, do nada cria tudo e por isso tem o símbolo do infinito sobre a sua cabeça. O Mago simboliza a actividade humana em todo o seu potencial criativo e construtor. Ele escolhe o que lhe sucede em vez de deixar que as coisas simplesmente aconteçam; escolher é bem mais do que aceitar, é retirar o máximo de cada ocorrência. Transcendendo as suas debilidades ou fraquezas, ele prossegue o caminho que escolheu e que corajosamente quer continuar a seguir.

 

As significâncias e simbologias

Ele representa o eixo entre a Terra e o Céu, a vida física. Com as duas mãos estabelece a ligação dessa polaridade. É o Eu chamado a criar. Na cintura uma serpente enrolada morde a própria cauda. O cinto, simbolicamente em várias ordens ao longo dos tempos representa o compromisso ou juramento, era para os iniciados símbolo da força e poder de que está investido, pois ao localizar-se na cintura marca o poder interior que une o triângulo divino da parte superior do corpo que se projecta poderoso sobre a matéria e o triângulo inferior que marca a verticalização ou espiritualização do mundo. Tudo toma maior intensidade ao considerarmos a simbologia da serpente associada à iniciação que como o Ouroboros o liga à unidade do Universo… aliado ao poder inequívoco da lemniscata no topo da cabeça.

A mesa simboliza o mundo material e nesta encontram-se runas gravadas que ajudam a marcar o conhecimento que permeia e do qual o indivíduo depende. Em cima, como ferramentas mágicas e ritualistas podemos ver os quatro naipes representando o 4 elementos mas também a vontade, o intelecto, os sentimentos e a fisicalidade… são símbolos do Poder Interno ç: Querer, Saber e Ousar.

(mais detalhes no nosso livro Iluminados 78 Vezes disponível brevemente)

 

  • natureza aventureira e artística
  • ingenuidade, fé
  • desapego
  • afastamento das normas estabelecidas
  • viagens
  • início de uma aventura
  • loucura, caos, indisciplina, desorganização
  • escolha ou decisão errada
  • inconsciência, ansiedade
  • falta de rumo, falta de objectivo, incapacidade de decidir
  • irresponsabilidade, extravagância
  • irreflexão, incapacidade de raciocinar
  • apatia, imprudência

b

Seleccione para significados específicos:

Como carta do dia!

Expanda os seus horizontes e faça usofruto das suas capacidades. É natural que hajam dificuldades mas o número de oportunidades é irremediavelmente maior e mais intenso… aproveite-as!

Como Prognóstico!

Desde que siga o seu próprio caminho dificilmente permitirá que as coisas lhe saiam goradas. Ponha-se ao centro de tudo, suba ao palco da sua vida e encontre os seus talentos e inicie todas as suas tarefas.

Como análise amorosa!

No amor e na guerra tudo é possível. Não existe nada que a perseverança pontilhada com um pouco de ingenuidade não consiga conquistar.

Como um evento!

É chegada a altura de fazer o que tem de ser feito, de agarrar o potencial e transformar em real e prático tudo o que antes eram apenas planos e ideias. É altura de resultados mágicos e isso exige afinco e talento.

Como aviso!

Precisa de estar concentrado numa determinada tarefa ou objectivo. A determinação e focalização num só propósito para o qual canaliza toda a energia é determinante para o sucesso por isso não baixe a guarda com distracções ou futilidades.

Deixar um comentário