O EREMITA, nono Arcano Maior

A Lâmina

Chamam-lhe Eremita (Hermit), Ermitão (Brasil) ou Consciência em vários e diferentes baralhos. j

Um eremita ou ermitão é um indivíduo que, usualmente por penitência, religiosidade, misantropia ou simples amor à natureza, vive em lugar deserto, isolado.

O Ermitão é, sem dúvida, um dos arcanos menos alegóricos do Tarot. A imagem de um peregrino em hábito de monge, transportando um cajado, pode ser encontrado em dezenas de iluminuras em manuscritos dos séculos XV e XVI. O único detalhe que o afasta desta monotonia é a lâmpada que leva na mão direita: por ela imagina-se que seja uma ilustração da conhecida história de Diógenes em busca de um homem.

Outra interpretação surge ainda do aparente erro ortográfico que se pode ver no Tarot de Marselha, onde a carta figura como L’Hermite em lugar de L’Ermite. Etimologicamente, o nome não derivaria então do grego eremites, eremos = deserto, mas provavelmente de Hermes e seu polivalente simbolismo. A esse respeito, podemos lembrar que é precisamente a Thoth, equivalente egípcio de Hermes, que Gébelin e seus seguidores atribuem a invenção do Tarot.

 

A Manifestação

Com os pés assentes em neve em fria, barbas brancas e olhar distante, coberto por um enigmático e sóbrio manto e segurando uma lanterna e um cajado, assim nos é apresentado o Eremita, uma lâmina de construção talvez simples, mas de significado requintadamente profundo.

O Eremita vem personificar a introspecção necessária à assimilação das lições de vida aprendidas até então. O mundo material superficializa-se na sua frivolidade, enquanto dar se traduz em algo muito mais valioso do que receber. As indagações mais inquietantes vêem-se muitas vezes respondidas com a ponderação atenta e sensível de uma mente calma.

A solidão aparece não como uma quebra com o mundo, mas como uma oportunidade de o conhecer melhor e de outro prisma, fortalecendo a relação com ele.

A luz das vivências adquiridas, que a todos nos constitui, torna-se, então, ferramenta essencial no atravessamento dos trilhos mais obscuros, aproximando-nos do propósito da vida, da nossa vida. Torna-nos ainda capazes de partilhar essa luz com aqueles que de uma chama guia aguardam ensinamento no processo de comunicação com o seu eu superior.

 

As significâncias e simbologias

O velho Eremita, de longas e experientes barbas brancas, vem representar a sabedoria que a idade oferece, um conhecimento mais elevado, uma iluminação materializada pela lanterna. O cajado impõe a autoridade, mas simultaneamente relembra a inspiração que em último guia o seu caminho, por vezes inóspito, e do qual se isola sob o seu manto cinzento. É um isolamento consciente, necessário, visando o atingimento de uma maturidade espiritual que apenas a solidão de uma montanha e o distanciamento podem proporcionar.

A lâmina aparece na posição 9, e por isso ligada a um sentido de realização numa evolução comum, da qual fazemos parte como exploradores e transmissores do conhecimento nesse percurso adquirido. Astrologicamente, o Eremita associa-se ao signo de terra Virgem, fundamentando a sua natureza curiosa e intuitiva.

Fé, prudência, sabedoria, para buscar nas profundezas de nossa alma a resposta para as nossas ânsias, a solução para os nossos problemas, a paz almejada e, sobretudo, para discernir quando é nossa vontade que age sozinha de quando está unida com a vontade do alto; quando é nossa face que se reflecte na água, ou quando é a face do amor maior, a face do sagrado.
O Eremita quer que compreendamos o que Victor Hugo há muito poetizou: “Existe uma coisa maior que o mar: o céu. Existe um espetáculo maior que o céu: é o interior de uma alma”.

  • Introspecção
  • Contemplação
  • Procura
  • Dar ou receber ensinamentos
  •  Apreciação da própria companhia
  •  Calma
  •  Pensamento independente
  • voz interior ignorada
  • Isolamento
  • Solidão
  • Evitamento

j

Seleccione para significados específicos:

Como carta do dia!

Pare, escute-se e olhe para dentro de si. A resolução dos problemas reside no uso dos seus próprios recursos e conclusões. Confie nas respostas da sua mente em paz.

Como Prognóstico!

A realização o crescimento pessoais, resultantes do atingir dos objectivos de vida com os quais se comprometeu, trouxeram consigo uma sabedoria clarividente. As suas lições de vida são valiosas pérolas que muitos podem guiar.

Como análise amorosa!

A necessidade de afastamento e reflexão pode culminar no fim ou no fortalecimento de uma relação. A luz das conclusões que surgirão indicar-lho-á.

Como um evento!

A ponderação é um elemento chave. Ouça a sua voz interior. Há preciosos ensinamentos que podem ser postos em prática na toma de qualquer decisão.

Como aviso!

O frenesim da vida diária tende a afastar-nos do nosso eu superior. Impõe-se um distanciamento, a procura de uma calma esclarecedora do sentido ténue da turbulência que o envolve.

Deixar um comentário