O CARRO, sétimo Arcano Maior

A Lâmina

Chamam-lhe O Carro (The Chariot), Carroça, Carruagem, Encruzilhada ou Vitória (Victory) h

O Carro, sétimo Arcano Maior, simboliza a experiência que advém da personalidade da própria – é o ego vitorioso adquirido pelo Louco ao atravessar os primeiros desafios da sua precoce Jornada. Para além disso, esta lâmina representa um controlo interior que o permite desafiar e conquistar o Mundo, é um domínio absoluto sobre si mesmo e o que o rodeia. O Carroceiro não tem rédeas para guiar a carruagem, apenas a varinha do Mago – com o poder de vontade deste o Carroceiro controla o Carro.

Este arquétipo personifica a auto-confiança e o auto-conhecimento, apoiado no sistema de crenças e valores estabelecidos previamente nos Enamorados. É imperativo aprender a expressar os nossos desejos e necessidades para conseguirmos atingir as nossas metas. Nesse sentido, esta lâmina representa a conquista, a vitória e o ultrapassar dos obstáculos que nos são impostos, através do controlo, da resolução e da auto-disciplina.

 

A Manifestação

O Carro traduz uma força de vontade inquestionável para conquistar quaisquer obstáculos e desafios que se atravessem no caminho para os nossos objectivos e por isso, transmite a necessidade de determinação, auto-controlo e esforço interior. Só assim o Carroceiro é capaz de atingir confiança e domínio sobre o próprio caminho, o próprio destino, as próprias conquistas e transcender qualquer coisa, ou pessoa, que restrinja as suas acções e decisões. A luta pelo comando do Carro e assim, a luta pelo poder sobre o caminho em frente é o que engrandece o Carroceiro. Mas tendo sempre em mente que a demanda em direcção aos nossos fins pode ser tão gratificante como atingi-los – a jornada é um objectivo em si mesma.

Acima de tudo, é fundamental concentrar-se completamente na tarefa que se tem em mão – é uma corrida em que se tem de manter o carro sempre em direcção à meta, o mais rápido possível sem se perder controlo da carruagem. Há esta necessidade de equilibrar a ambição de ganhar e dominar a competição com a sensatez da preservação e da persistência. Mas para saber qual o caminho a seguir é necessário ainda que o Carroceiro tenha consciência completa dos seus desejos e ambições. Por esta razão, assentam em frente ao Carro as duas esfinges, em preto e branco, os mistérios da vida: só com uma resolução infalível e o objectivo em mente, o Carroceiro poderá decidir sobre o caminho a tomar.

Por último, o Carro pode indicar um impulso agressivo, gerado por um descontrolo pessoal. A agressividade é parte da natureza humana e não pode ser simplesmente suprimida. Ao ignorar este desequilíbrio, pode-se estar causar um problema emocional maior e quiçá, manifestações físicas. Este tipo de instabilidade pode ser completamente destrutivo, mas quando canalizado de forma criativa e eficaz, torna-se numa força poderosa de transformação. Esta lâmina anuncia uma altura em que é preciso dominar as nossas emoções e contornar impulsos internos de agressão e raiva.

 

As significâncias e simbologias

Nesta lâmina existe entre o balanço do esforço consciente do Carroceiro e da força Universal incontornável – o karma -, que o transportará ao longo do caminho, aqui representado pelo Carro. A imagem retrata esta figura a afastar-se da cidade, demonstrando que o Carroceiro abandonou conscientemente a civilização e o materialismo para se focar em nos seus próprios assuntos espirituais.

Na dianteira, estão duas Esfinges – uma branca e uma negra – que simbolizam os enigmas e a dualidade da vida e a luta entre o positivo e o negativo, os quais se encontram ao longo da jornada incessante. Estas não puxam o Carro, mas seguem sempre em frente – são os desafios necessários a enfrentar com o tempo. O Carro apresenta ainda um Sol alado na frente, representante do centro interior de motivação, e um símbolo Hindu (Lingam and Yoni), representativo da união entre as forças masculina e feminina e do poder sexual.

O Carroceiro veste uma túnica com símbolos alquímicos, representantes da transformação espiritual do Homem, e uma armadura, indicadora da sua resiliência física, com um quadrado ao centro (sinal da força inerente da Terra que o protege). Traz ainda sobre os ombros dois crescentes lunares, símbolos das forças subconsciente envolvidas nas escolhas racionais do Carroceiro. A coroa de estrelas e as folhas de louro denotam o intelecto e as capacidades evolutivamente avançadas do seu detentor, mas, não obstante, sobre a sua cabeça estende-se um toldo estrelado que exprime as forças celestiais influentes nas decisões em mão. Mais uma vez, a varinha do Mago aparece em posse do Carroceiro, que partilha esta força de vontade e confiança com o primeiro arcano. ç

(mais detalhes no nosso livro Iluminados 78 Vezes disponível brevemente)

 

  • Controlo;
  • Poder de vontade;
  • Vitória;
  • Assertividade;
  • Determinação;
  • Auto-disciplina
  • Falta de controlo e direcção;
  • Agressividade;
  • Impotência

h

Seleccione para significados específicos:

Como carta do dia!

“Quem não arrisca, não petisca” – delineie o que quer e viva o seu dia concordantemente. Os seus objectivos só serão conquistados se se empenhar e tomar as decisões para lá chegar.

Como Prognóstico!

Não pode simplesmente ‘sair’ do Carro – ele é o seu único transporte ao longo da vida. Mas quando tomar as rédeas, poderá controlar o caminho à sua frente. Tome de volta o controlo sobre a sua vida!

Como análise amorosa!

Encontra-se numa encruzilhada na relação! É altura de meter as cartas na mesa e abrir o jogo – partilhe com o seu parceiro sobre os seus objectivos e planos na relação.

Como um evento!

Cultive os seus interesses! Principalmente aqueles que lhe façam bem. Respeite incondicionalmente o seu julgamento.

Como aviso!

Está num ponto decisivo da sua vida: é altura de tomar controlo da sua vida, pegar nas rédeas e guiar o seu próprio caminho. Não se deixe deitar abaixo por falta de confiança, indisciplina ou agressividade e mantenha-se sempre com o alvo em vista.

2 comentários

  1. |

    Gostei da maneira como faz a leitura!

Deixar um comentário