MORTE, Décimo Terceiro Arcano Maior

A Lâmina

Chamam-lhe Morte (Death), Transformação ou Mudança em vários e diferentes baralhos. n

Tal como a própria morte, a lâmina da Morte é temida e mal compreendida. A Lâmina da Morte não significa morte no sentido literal da palavra, apesar da ideia que a imagem e o nome da lâmina possam dar. Geralmente representa o fim de algo e o início de algo, a morte aplica-se a qualquer situação de mudança abrupta, e não obrigatoriamente o falecimento de alguém.

Não tem nome algum inscrito no tarot de Marselha ou nas suas variantes mais recentes. No entanto, em baralhos similares franceses, do século XVII, o título “La Mort” está presente. Apresenta um esqueleto revestido por uma espécie de pele que tem uma foice nas mãos. Do chão negro brotam plantas azuis e amarelas entre restos mortais de seres humanos. O fundo não está colorido.

No primeiro plano, à esquerda, uma cabeça de mulher; à direita, uma cabeça de homem com uma coroa.

No baralho Rider-Waite, a Lâmina Morte é representada por um esqueleto vestido com uma armadura preta, montado num cavalo branco. Este virado para a direita. Transporta uma bandeira com uma rosa branca num fundo preto. No chão por onde a Morte está a passar encontra-se um rei que se supõe morto. À frente da morte está um bispo vestido com um manto amarelo, com as mãos estendidas implorando. Uma criança, de joelhos, aparentemente sem medo. Uma mulher, também de joelhos, com a cabeça virada para trás sem conseguir encarar a figura fantasmagórica. No fundo da lâmina ao centro podemos ver um barco a navegar no rio. À distancia acima da montanha o por/nascer do sol é obstruído por duas torres, essas torres podem ser a entrada para uma cidade, sugerida pela silhueta no meio de ambas.

Para o iniciante, mostra-se como a carta mais temível, mas os estudos simbólicos ajudam a entender um outro sentido no plano da evolução humana.

 

A Manifestação

O louco após passar pela experiência do Enforcado, onde, compreendeu que há situações na vida que não controla. Foi quase obrigado a admitir derrota, mas descobriu que admitir derrota é aceitar a realidade que as coisas são como são. Já não julga, não tenta defender-se ou tenta controlar o externo. Encara a Morte de frente. Mesmo que o significado da morte seja o significado literal da palavra, O Louco não tem receio Apercebe-se que apenas é uma fase de crescimento na sua vida. É como a criança representada na lâmina da morte, onde a criança encara a morte com curiosidade, ansiosa pelo que vem a seguir. Como sabemos, O Louco continua a sua jornada ou seja a sua morte foi apenas metafórica.

A Morte pode ser vista como o fim de algo para poder começar algo novo, O Louco deixou o seu passado para trás “ao morrer” e “nasce” como uma nova pessoa. Então e o que tem de morrer? Tudo a que o Louco ainda tenha ligação. A sua experiência de Pendurado é na realidade apenas o início do processo; são várias as etapas do Eu que serão reveladas. O processo é habitualmente doloroso e dará lugar a arrependimentos, olhares de soslaio, mas no fim das contas a Morte perdurará.

Ao longo da nossa vida enfrentamos desafios constantes tais como o diagnóstico de uma doença grave, perda de familiares ou amigos próximos, dificuldades financeiras, etc. Estas situações podem contribuir para o processo de aprendizagem que todos nós temos que passar. Conseguirmos encarar as coisas desta forma, ao termos presentes que faz parte do processo de aprendizagem e assim encontrar tranquilidade e clareza para ultrapassar as situações que possam surgir, chegamos a conclusão que tudo tem um fim, para assim nascer algo novo. Não nos devemos apegar em demasia a algo, pois um dia chega o fim, o que até pode ser positivo, porque a seguir vem o nascimento de algo novo, e algo novo pode significar algo de melhor, algo novo que trará benefícios para si. Em geral é o que a lâmina representa.

 

As significâncias e simbologias

A Morte tem vestida uma armadura que significa que não pode ser destruída, está constantemente a seguir em frente sem dar hipótese a resistências, quando chega a hora não há nada a fazer. O cavalo da Morte é branco e é um símbolo de pureza, tal como a rosa no estandarte. O branco representa purificação, significa renascimento. Os ciclos do sol mostram que o universo, assim como nós, trabalha por ciclos.

O rei morto, o nosso Eu não é relevante porque a morte encontra-se noutro nível. A criança representa a aceitação completa da morte, ainda não vivenciou o suficiente para que o que observa seja toldado por memórias, crenças ou opiniões. A mulher que não consegue encarar a morte, a representar as pessoas que não conseguem encarar as mudanças, não conseguem lidar com o fim de algo e tentam a todo o custo fugir dessas situações. O padre que transmite a ideia de que através da sua fé prevenirá que “algo de mal aconteça”, mas a religião não tem qualquer peso aqui. O barco que espera pela morte para a levar ao submundo, ou para a levar através das torres e do reino no céu que se encontra no fundo da lâmina, talvez quando chega a hora da morte façamos uma decisão.

Para compreendermos a lâmina Morte, ajuda se virmos A Morte de uma forma diferente da que usualmente é vista. A Morte não significa obrigatoriamente algo mau nem propriamente bom, como evento ou processo é neutra. O importante não é se já esperamos A Morte, como quando chegamos ao fim da vida de forma natural, ou se é inesperada tal como um acidente ou surgimento de uma doença terminal. A Morte tem o significado que nós atribuirmos, assim como tudo na vida, se acreditarmos nisto a nossa percepção é limitada. Não há forma de saber se uma pessoa que faleceu cedo assim ficou definido pelo seu EU SUPERIOR antes de encarnar, e com a morte voltar ao todo. Assim como não há forma de saber se a morte é uma experiência gratificante, o que acontece á nossa alma quando o corpo morre. Imagine se consegue-se presenciar isto de uma outra perspectiva, imagine se a morte for apenas um ponto na nossa existência, imagine se do dia para a noite renascermos, encarnarmos de novo, separarmo-nos e voltarmos a encarnar e assim adiante. E se a separação for falsa e nada conseguir separar-nos de nos, pode imaginar? Simplesmente não conseguimos imaginar. ç

(mais detalhes no nosso livro Iluminados 78 Vezes disponível brevemente)

 

  • Fim de algo importante;
  • Início de uma grande mudança
  • Fim de era;
  • Término Abrupto;
  • Metamorfose
  • Atrasos na mudança;
  • Perda de força e vontade;
  • Bloqueado ou restrito;
  • Mudança Incompleta;
  • Mudança Inapropriada;
  • Resistência à mudança

n

Seleccione para significados específicos:

Como carta do dia!

O conselho é: esteja atento a novas situações e encare-as de frente.

Como Prognóstico!

Algo na sua vida irá mudar, de forma dolorosa ou não, depende da forma como encarar essa mudança e a resistência que oferecer. Essa mudança poderá trazer algo novo para a sua vida, essa mudança pode ser aquilo que precisa neste momento, e com essa mudança dar mais um passo no caminho que deve traçar.

Como análise amorosa!

A relação chegou a um fim, mas encare desta maneira, se chegou a um fim é porque aprendeu e passou pelo que era suposto e chegou a hora de seguir em frente.

Como um evento!

Esse evento chegou a um fim. Ou um novo evento virá, que vai trazer mudanças na sua vida.

Como aviso!

Esteja atento a mudanças na sua vida, pois serão importantes e determinantes de um novo futuro.

Deixar um comentário