Lua (Simbologia Tarósofa)

O termo em português Lua tem origem no latim Luna. Outro termo menos comum é selene, derivado do grego antigo selene (Σελήνη), mas não incomum é ouvir-se a atribuição do nome Lilith.

 

Desde a Pré-história os homens levantavam templos de pedras, como o de “Stonehenge” na Inglaterra, para observar os fenómenos da Lua e do Sol. No século XVII, o italiano Galileu Galilei fez grandes descobertas com uma simples luneta, e dá para perceber porque este instrumento ganhou o seu nome que vem do latim luna. Agora, o nosso satélite transforma-se numa plataforma, para maiores conquistas no espaço, e aqui na Terra, porém, a Lua continua exercendo sua eterna influência sobre os humanos, os animais, as marés, a pesca e a agricultura. Sem a Lua, seria difícil conhecer a própria Terra. Há milênios os gregos olharam para o nosso satélite, mais precisamente a sombra circular que se projetava sobre a Lua cheia (eclipse) e fizeram a primeira dedução: a Terra era redonda!

 

Sobre a simbologia da Lua...

Venerada como divindade entre antigas civilizações, a Lua é um símbolo feminino, associado à fecundidade, à fragilidade, à ilusão e à pureza. Por mudar a sua forma aparente de aparecer no céu, ou seja, por atravessar fases, na simbologia, a Lua é também um símbolo de inconstância e segredos mutantes.

A Lua é a energia da nossa natureza emocional. Ela diz quais são nossas necessidades básicas de nutrição e de segurança. A Lua revela a nossa manifestação inconsciente, como guardamos as impressões das experiências vividas, como é o nosso humor e como é nossa reacção. Diz ainda como vislumbramos o universo maternal e feminino. O sector que a Lua se localiza no nosso mapa astral recebe essa energia fluída e impressionável. Ali ela traz uma força para dar e receber nutrição física e emocional, mas também pode trazer alguma insegurança e sentimentalização excessiva.

A Lua é o pêndulo da Terra, exerce influência irrefutável, não só sobre nosso planeta, mas também na consciência e no espírito humano. Dentro da magia e desde tempos remotos aprendeu-se a reconhecer e utilizar os poderes alegadamente mágicos da Lua, que são apenas energéticos e pouco mágicos em si. É um dos elementos mais importantes na análise astrológica, pois governa os nossos instintos mais básicos e primários, a nossa maneira intuitiva de ser, o nosso lado mais sensível e emocional. A Lua simboliza a nossa alma, os nossos sonhos, as nossas fantasias e outras manifestações do “eu” profundo e inconsciente.

A cada ano estima-se que a Lua se afasta 2 centímetros da Terra. Em biliões de anos ela estará tão distante, que mal será visível. Em teoria, pode-se prever que o nosso planeta, sem o apoio da Lua, vai girar sem equilíbrio no espaço. Foi observando a cadência da Lua que o homem começou a entender o tempo… Quando tudo começou, o dia e a noite já estavam criados. Mas ainda faltava a semana e o mês. E foi a Lua que deu as indicações, com suas quatro fases que se repetiam ciclicamente. Já que cada fase lunar durava, aproximadamente, 7 dias surgiu a semana (“septimana”, do latim), reconhecida oficialmente somente no ano de 325 depois de Cristo.

O primeiro dia foi dedicado ao Sol e o segundo à Lua. Depois o homem percebeu que para a Lua completar um ciclo inteiro, ou uma lunação, devia-se esperar 29 dias. Assim apareceu o mês. Mas era preciso um espaço de tempo maior para medir viagens, construções e a vida do homem. O próximo passo foi a fixação do ano com seus 12 meses. O nosso calendário com 365 dias, leva em conta o tempo que a Terra precisa para cumprir uma revolução completa em torno do Sol. Mas até hoje, os muçulmanos seguem o antigo calendário lunar, que começam sempre na Lua Nova, sem se importar com o facto de o ano, para eles, ter 354 dias.

Ciclo de Lunação

Phases10-5x3wA palavra ciclo vem do grego “kiklo” que significa círculo, uma das figuras mais perfeitas da geometria. Numa sequência exacta, que está sempre em renovação os ciclos lunares parecem a vida do homem, com o nascimento, a vida e a morte.

Quando se começou estudar a real influência dos ciclos lunares, um dos fenómenos mais visíveis era o das marés, o movimento das águas do mar, governado pelo Sol e pela Lua. E foi a percepção desse mecanismo que serviu como trampolim para se entender o fluxo das águas no nosso corpo ou da seiva nos vegetais. Se o homem é constituído de 70% de água e 30% de sólidos, exactamente como a Terra ele também é regido pelas chamadas marés biológicas. Assim, durante a Lua Cheia, quando as marés sobem ao nível mais alto e a pressão lunar é mais forte os efeitos sobre nosso organismo e nosso comportamento são mais poderosos.

O início da vida, afinal, está submetido ao ciclo menstrual feminino, cuja duração é a mesma da lunação: aproximadamente 29 dias.

LUA NOVA

É o início do ciclo, quando a Lua está alinhada entre o Sol e a Terra. Durante 7 dias, sua face é pouco visível. Ou Lua Negra – Lilith – período que antecede a Lua nova, na verdade três dias antes desta Lua, ainda na Lua minguante (onde se repele as más influências) e no final desta, é o período conhecido como escuridão lunar. Lilith era a rainha dos fantasmas e demónios que atacavam os homens sexualmente. A seiva concentra-se no caule e nas raízes, por isso frutos e flores não estarão em boas condições para serem colhidos. É um período adequado para semear plantas medicinais e cortar madeira. Propicia a interiorização, germinação, fecundação e o recolhimento. Período de introspecção, indefinição, da busca de novos caminhos e não propício para decisões. Atrai a espiritualidade. Período neutro, ideal para a reflexão, amadurecimento dos anseios e a reavaliação de velhos valores.

LUA CRESCENTE

Lua, Terra e Sol, formam um ângulo de 90°. A cada dia a luminosidade lunar aumenta e sua face torna-se mais visível. A seiva flui em direção às folhas, época boa portanto para transplantar e enxertar. A luminosidade da Lua começando a aumentar torna o período propício para semear tudo o que frutifica acima do solo, como frutas, grãos, flores; propício também para colher legumes e frutas lunares: pepino, melão, melancia. Momento de definição, pois os sentimentos e emoções tornam-se mais claros e as atitudes mais objectivas. Os impulsos devem ser colocados em prática. Bom para intensificar os contactos sociais. Exerce atracção magnética sobre todas as coisas expostas à sua energia. É a época ideal para traçar novos planos, investir numa relação amorosa e plantar ervas mágicas. Verificar e solucionar questões, progressos financeiros.

LUA CHEIA

Neste período, a Lua está em oposição ao Sol e sua face pode ser vista inteiramente. A seiva tem maior penetração nas folhas e nos frutos, acumulando-se nos brotos. Desaconselha-se assim efectuar-se podas. É a melhor fase para a colheita de frutos que estarão desta forma mais suculentos, para cultivar plantas de ciclo bienal, plantas com brilho, alcachofra e salsão. É o melhor período para a manutenção da Terra. Estudos comprovam que os bombeiros, esquadras, protecção civil e hospitais ficam bem mais movimentados nesta fase. O índice de desordens e bebedeiras também se eleva… Representa o ápice dos poderes mágicos, algumas pessoas sensíveis inquietam-se nesta época, é a Lua certa para executar tarefas e negócios importantes. Simboliza a plenitude. As pessoas estão mais abertas e receptivas nesta época, o inconsciente aflora e as acções podem se tornar agressivas. Os projectos iniciados chegam ao seu desenvolvimento máximo. Época portanto de expansão interior, recarregar energia e para fazer ritual do amor.

LUA MINGUANTE

Lua, Terra e Sol, formam agora um ângulo de 270°. A cada dia a Lua fica menos visível. Um novo ciclo se inicia, quando a Lua volta a ser invisível e se alinha entre Sol e Terra. A seiva flui em direcção ao caule e as raízes. Bom período para semear todos os tipos de raízes: cebola, nabo e batata. Esta fase é boa para a colheita, adubar, podar, cortar madeira para móveis, colher grãos e semear, exterminar as pragas e também podar ervas e plantas. Período de transição, tendência para o recolhimento e avaliação do que já foi vivido. Os trabalhos iniciados devem ser terminados. É o momento certo para desatar nós e por um fim pacífico em etapas, sociedades e relacionamentos. Na simbologia, Hécate é a lua minguante que simboliza o ciclo constante das energias humanas e divinas. É a representação da sabedoria adquirida pelo amadurecimento.

 

Simbologia Tarosófica

Em todos os baralhos de Tarot, a Lua é amplamente contemplada, ou não fosse ela mesma um dos arcanos maiores, o 18. Um pouco por todos os baralhos a Lua simboliza a nossa alma, os nossos sonhos, as nossas fantasias e outras manifestações do “eu” profundo e inconsciente. Simboliza na corrente tarósofa o mistério, o segredo, o lado lunar de cada um e representa o passado, o condicionamento, a imaginação, as viagens e as mudanças temporárias. Se numa tiragem as Luas falam consigo, considere profundamente o simbolismo até porque a Lua tem sempre uma mensagem importante dada a sua influência constante e mutável sobre cada um de nós. lua

Experimente fazer uma tiragem sob uma intensa Lua Cheia e conte-nos o resultado e a diferença!  

1 comentário

  1. |

    Gostei do que li sou uma apaixonada pela Lua na proxima lua cheia vou fazer a “experiencia Grata

Deixar um comentário