6 erros passíveis de serem cometidos numa tiragem e como evitá-los!

Quer esteja a começar no tarot, ou até apenas por curiosidade, a vontade de ler as cartas ou lâminas a si mesmo acabará por aparecer. Para si, vai parecer uma boa ideia, já que já sabe como se faz ou até porque quer praticar em si antes de o fazer aos outros, ou até porque pensa que vai ficar a conhecer-se melhor depois de o fazer… Mas será mesmo uma boa ideia? Será a objectividade a mesma? Aqui seguem seis erros comuns na auto-tiragem, e como os pode evitar:

1. Fazer tiragens quando se está sensível/emocional

Imaginemos que a sua relação terminou, ou que perdeu o emprego, e decide usar as cartas para ver o que vai acontecer a seguir. As leituras que vai fazer ou vão ser mal interpretadas, já que está tão chateado ou tão desesperado que vai querer uma dada resposta, tirando toda a objectividade à leitura, ou, por causa desta mesma perda de objectividade, as leituras vão ser dúbias e gerar ainda mais confusão, nem que seja apenas emocional. A solução reside em acalmar-se e confiar que é capaz de uma leitura objectiva, seja qual for a resposta que irá receber, ou, mais aconselhado, pedir a um profissional que lhe faça a tiragem… no geral até prefiro esta última opção seja qual for a situação.

2. Tirar mais lâminas que o normal numa tiragem

51Ao fazer uma tiragem, às vezes esta não nos parece completa ou não parece conter toda a informação que pretendíamos, e então aí parece fazer sentido fazer uma nova tiragem. Tendo como exemplo o dois de espadas, vemos que o sujeito na lâmina está indeciso e tem de fazer uma decisão entre duas opções possíveis. Mas então e agora? Como saber o que escolher? Será uma nova tiragem mesmo a opção? Será mesmo a solução continuar continuamente a tirar lâminas até aparecer uma que finalmente nos agrade? Se o fizer, ou vai continuar a tirar até encontrar o que pretende, estragando a leitura e tirando-lhe todo o seu significado, ou vai simplesmente ficar confuso com a quantidade de informação que lhe vai sendo transmitida. O mais correcto a fazer será o compromisso que terá de fazer consigo mesmo para tirar lâminas extra apenas em casos estritamente necessários ou quando as lâminas parecerem não fazer sentido.

3. Fazer tiragens contínuas sobre um mesmo assunto

Um dos maiores erros cometidos por quem faz tiragens de tarot é repetir as leituras sobre o mesmo assunto em curtos espaços de tempo. Outro é pensar que diferentes tipos de tiragens não contam como repetições. Estas leituras repetidas não o vão ajudar, acredite, só vão fazer com que fique ainda mais confuso e sem saber o que fazer, pois de todas as vezes vai receber mensagens ligeiramente diferentes, e quantas mais fizer, pior e mais confuso se sentirá. Uma nova leitura só é possível quando algum tempo se passar (mínimo 3 semanas a um mês) ou quando notar alterações inequívocas nesse tópico, aí já vai fazer sentido descobrir novas orientações. Por isso, depende de si manter este acordo consigo mesmo quando fizer auto-leituras.

 4. Procurar diversos significados para uma só lâmina

Como sabe, não há um dicionário universal dos significados e linguagens simbólicas de cada uma das lâminas do tarot, pois estas são extremamente complexas. Deste modo, se procurar, por exemplo, o significado de uma lâmina com recurso a várias fontes, pode cometer o erro de “escolher” aquela que lhe parece mais adequada. A solução está em não se focar em procurar o significado que pensa que está à espera, receba a mensagem e pense para si o que essa lâmina está a querer transmitir-lhe, porque, na verdade, a essência do tarot é mesmo essa!

cruzcelta5. Utilizar um tipo de tiragem complicado

Imagine que pretende saber se vai a um encontro ou não, e decide fazer uma tiragem em Cruz Celta (representada na imagem à direita).

Ora, este tipo de tiragem permite-lhe saber o que aconteceu, o que vai acontecer, os vários conselhos ou obstáculos que vai ter de ultrapassar…. Tudo menos a resposta que pretende de um sim ou não. Erradamente, esta tiragem é frequentemente utilizada por iniciantes, mas esta é a tiragem mais complexa e deve ser usada apenas por quem se sente preparado para a usar, ou seja, alguém com alguma experiência.

O conselho é: Não use tiragens complexas para perguntas simples, a tiragem de uma lâmina apenas é bastante útil e neste caso muito mais significativa, especialmente se estiver ligado meditativamente à lâmina, podendo assim ver o seu significado e a sua mensagem de forma mais pessoal e sua. É, por isso, importante não complicar a tiragem de modo a não levar a conclusões dúbias.       

6. Interpretar as cartas de forma conveniente

A tarefa mais difícil das auto-leituras é a interpretação objectiva e sem carga emocional. Fazer tiragens chateado ou triste apenas leva a interpretações que apontem para o que achamos ou aquilo que queremos que aconteça, e isso vai claramente influenciar a tiragem em si e as lâminas que irão sair.

O melhor a fazer é procurar uma segunda opinião, seja junto de um grupo de Tarosofia ou mesmo a consulta de um tarólogo profissional.   A auto-leitura pode ser positiva para nos ajudarmos a nós mesmos e para nos conhecermos, mas apenas se respeitarmos todos estes aspectos, caso contrário só estaremos a piorar a situação, seja ela qual for.

Boas tiragens!

Deixar um comentário